sexta-feira, 22 de março de 2019

Data-Base 2018: Reunião de mediação com governo tem poucos avanços



Na tarde desta quinta-feira (21/03), representantes do SEMAPI estiveram novamente no TRT-4 para uma reunião de mediação junto ao governo do Estado. Isso porque há situações específicas da ASCAR-EMATER, da EGR, da FASE e da FPE que precisam ser esclarecidas por conta da data-base do ano passado.
Na reunião, o Grupo de Assessoramento Especial (GAE) do governo informou que foi mantida a mesma proposta para EGR e EMATER, apresentada no dia 24/12/2018, com pequenos ajustes técnicos. Para a FASE e FPE, o representante do GAE referiu a necessidade de alterar a cláusula de vedação de remanejamento de pessoal, para os que ingressaram até 31/05/2015, de forma a possibilitar o fechamento do acordo coletivo. 
O representante do GAE apresentou a proposta do governo, que deve ser analisada até a próxima mediação, agendada para o dia 8 de abril, às 9h35, no TRT-4. Antes desta data, será convocada assembleia com os trabalhadores do setor público, para que possam conhecer melhor as propostas e deliberar sobre elas.

quinta-feira, 14 de março de 2019

Data-Base 2019: Assembleia de apreciação de pauta




O SEMAPI convoca os empregados do SETOR PRIVADO e em empresas prestadoras de serviços eletrônicos no Rio Grande do Sul, para uma Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada no dia 19 de março de 2019, às 18h30. O encontro será no Auditório do SINDIPOLO (Av. Júlio de Castilhos, 596 - 8° andar - Centro Histórico, em Porto Alegre), às 18h30.

O objetivo do encontro é colocar em apreciação a pauta com as cláusulas que serão reivindicadas durante as negociações da data-base de 2019 da categoria. Além disso, outros temas serão debatidos, como:

·         Autorização à diretoria deste Sindicato para negociar, assinar Acordo Coletivo e/ou Convenção Coletiva de Trabalho, bem como para formular protesto judicial, instaurar dissídio coletivo e firmar acordo nos respectivos autos.

·         Autorizar e fixar o desconto de taxa assistencial de fortalecimento da Organização Sindical para o Sindicato.

·         Discutir e deliberar sobre as propostas e contrapropostas patronais, bem como sobre as formas de mobilização da categoria.

·         Deliberar sobre o eventual descumprimento dos instrumentos coletivos da categoria.

Contamos com a participação de todos e todas!



quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Data-Base 2018: trabalhadores do setor privado aprovam proposta


Na assembleia realizada na noite desta terça-feira (29/01), os trabalhadores aprovaram por unanimidade a proposta para a Convenção Coletiva Trabalho (CCT) de 2018. Agora, o texto será inserido no sistema mediador da Justiça do Trabalho para que seja feito o registro do documento.
Salientamos que as empresas já podem efetuar o pagamento, uma vez que as partes estão acordadas entre si. Lembrando que os retroativos devem ser pagos em ATÉ duas parcelas, nas folhas de fevereiro e março.
Conheça a proposta aprovada AQUI
Durante a assembleia, os diretores do SEMAPI fizeram um histórico da negociação, explicando todos os percalços que tivemos pelo caminho. Também foram salientadas as mudanças que ocorreram com a reforma trabalhista, que tem fragilizado os sindicatos e diminuído seu poder de negociação. Após a votação, a assessoria jurídica do SEMAPI ainda destacou a importância de recorrer ao sindicato sempre que preciso.
Em respeito aos trabalhadores, o SEMAPI optou por abrir mão da contribuição assistencial, decidindo abonar os valores da data-base de 2018. Já estamos enfrentando muitas ameaças de retiradas de direitos, e sabemos que muito mais está por vir, por isso, precisamos estar fortalecidos e mais unidos. Não se engane! Ir contra o sindicato é ir contra os seus próprios direitos.
HISTÓRICO DATA-BASE 2018
SEMAPI e SESCON vinham debatendo a data-base da categoria até que o sindicato patronal se negou a continuar negociando, por conta de um impasse de representatividade junto ao governo do Estado. Assim, fomos obrigados a recorrer ao TRT-4 para que o Desembargador do Trabalho pudesse nos ajudar a voltar a negociar. Não queríamos que 120 mil trabalhadores fossem prejudicados por conta de uma questão específica entre SESCON e governo. Dessa forma, somente em dezembro, com a 2ª reunião de mediação, conseguimos retomar as negociações.
No retorno das tratativas, SEMAPI e SESCON discordaram de um ponto considerado fundamental, que é a disponibilidade dos dados antes de assinar a rescisão. Com a reforma trabalhista, as rescisões podem ser feitas diretamente com o patrão, por isso, solicitamos que os cálculos rescisórios fossem disponibilizados antes do momento da assinatura, para que pudessem ser ao menos verificados. No entanto, o sindicato patronal não estava concordando com isso, o que acabou atrasando ainda mais o processo. Após muito debate, conseguimos negociar a implementação de uma comissão paritária (composta pelos dois sindicatos) para debater a situação das rescisões contratuais.


segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Data-Base 2018: Fala do SEMAPI na Rádio Bandeirantes

📌 Amanhã (29/01), a partir das 18h30, haverá a assembleia dos trabalhadores do setor privado na sede do Sindipolo.

📻 Abaixo, está a fala do SEMAPI, que foi ao ar na Rádio Bandeirantes.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Data-base 2018: setor privado tem assembleia dia 29



Trabalhadores e trabalhadoras das empresas privadas ligadas ao SEMAPI poderão avaliar a proposta para a data-base de 2018, negociada entre SEMAPI, SESCON e SINDAT, no dia 29/01, às 19h, na sede do Sindipolo (Av. Júlio de Castilhos, 596 - 8° andar - Centro - Porto Alegre). Na ocasião, será explicado todo o processo negocial e esclarecidas possíveis dúvidas.

É importante que o trabalhador participe para que possa não apenas conhecer melhor a proposta, como também opinar e debater. A assembleia é imprescindível para o processo de negociação, pois só depois da decisão dos trabalhadores é que o acordo terá validade.

Não são tempos fáceis para a classe trabalhadora, que tem perdido força frente aos empresários/patrões. Precisamos estar unidos para que possamos enfrentar as ameaças de retirada de direitos. Fique atento: desmerecer o sindicato que representa os trabalhadores também é diminuir o poder do empregado.


terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Data-base 2018: setor privado finaliza negociação e aguarda avaliação da categoria


Depois de meses de debates e impasses, finalmente chegou-se a um acordo para a data-base dos trabalhadores das empresas do Setor Privado ligadas ao SESCON e ao SINDAT. A reunião ocorreu no final da tarde desta terça-feira (22/01), na sede do SESCON-RS. A assembleia da categoria deve ser convocada ainda nesta semana.

Durante a discussão, conseguimos avançar nos índices de vale alimentação e nos pisos salariais. Ficou acordado entre as partes que uma comissão paritária será definida para debater a situação das rescisões contratuais, como a antecipação dos cálculos para os trabalhadores e a assistência às homologações, auxílio nas negociações de acordos extrajudiciais, arbitragem para hipersuficientes, e conciliações prévias.

Demonstrando nossa principal preocupação, que sempre foram os trabalhadores, o SEMAPI abriu mão da contribuição assistencial, decidindo abonar os valores da data-base de 2018. Quanto ao pagamento dos retroativos, as empresas relataram dificuldades de fazer a quitação na folha de janeiro (algumas até já fecharam a folha, e outras argumentaram falta de tempo hábil), ficando assim acordado que o pagamento poderá ser feito em até 2 vezes, nas folhas de fevereiro e março.
_________________________________________________________

Principais pontos da proposta

Reajuste salarial para quem ganha acima do piso:
1,69% (retroativo a maio) - referente ao INPC do período

*Leia abaixo explicação dos pisos

Reajuste para quem recebe o piso salarial:
2% (retroativo a maio)
*Leia abaixo explicação dos pisos



Vale refeição para quem trabalha 8 horas/dia:
R$18,20 (de maio até dezembro de 2018)

– representando 2,5% de aumento

A partir de janeiro de 2019 - o valor vai para R$18,38
- totalizando 3,5% de aumento

Vale refeição para quem trabalha 6 horas/dia:
R$17,10 (de maio até dezembro de 2018)

– representando 2,5% de aumento

A partir de janeiro de 2019 - o valor vai para R$17,23
- totalizando 3,5% de aumento


Auxílio-rancho: R$82,48 - representando 1,69% de aumento

_________________________________________________________


Caso Hoepers

No dia 17/01, foi realizada assembleia específica dos trabalhadores da empresa Hoepers Recuperadora de Crédito, para decidir sobre as mudanças em relação ao vale alimentação da categoria. Na ocasião, os diretores do SEMAPI apresentaram o histórico do processo negocial do acordo coletivo e explicaram as tratativas junto ao Ministério Público do Trabalho no inquérito que apura diversas irregularidades da empresa.

Os funcionários apresentaram também um abaixo-assinado demonstrando toda a sua insatisfação “quanto à retirada dos tickets no valor médio de R$450 mensais e à mudança para nova forma de refeição, como refeitório próprio da empresa.” Em votação, foi aprovada por unanimidade a renovação do acordo referente ao vale alimentação nos moldes que se encontra atualmente.

_________________________________________________________

⇨  PARA ENTENDER OS PISOS


1) A partir de 1º de maio de 2018, ficam instituídos os seguintes pisos salariais para os empregados com jornada de 220 horas mensais que atuam em empresas privadas:



I–Empregados em Geral:



a) Office-boy, ocupados em serviços de limpeza (Copeiro, faxineiro, limpador, auxiliar de limpeza, servente de limpeza) e jovens aprendizes: R$ 1.051,00; 



b) Que percebam salário fixo, dentre eles os empregados de empresas prestadoras de serviço que exerçam suas atividades na sede de empresa tomadora de serviços, inclusive os que prestam serviços de portaria e de digitação, empregados de empresas de cobrança de pedágio e empregados de empresas recuperadoras de crédito: R$ 1.105,00; e



c) Empregados que percebam salário misto ou comissões, inclusive para os empregados que exercem a função de agente de segurança em empresas de tele-alarme - R$ 1.228,00.





II -Empregados de empresas prestadoras de serviços e que exerçam suas atividades na sede de empresa comercial varejista (tomadora de serviço) nos municípios de Porto Alegre, Canoas, Alvorada, Cachoeirinha e Nova Santa Rita.



a) Office-boy, ocupados em serviços de limpeza e jovens aprendizes: R$ 1.051,00;



b) Que percebam salário fixo, inclusive para aqueles que desempenham a função de digitador: R$ 1.158,00; e





c) Que percebam salário misto ou comissões, inclusive para os empregados agentes de segurança em empresas de tele-alarme - R$ 1.282,00








quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Data-Base 2018: Nova negociação do privado acontece dia 22/01


Devido à resistência do SESCON em negociar cláusulas importantes, a data-base do setor privado continuará sendo debatida. Uma nova reunião entre os sindicatos ficou agendada para o dia 22/01, às 16h.
Entre os pontos divergentes está a cláusula que trata da contribuição assistencial, mas, o principal tema - que tem sido amplamente defendido pelo SEMAPI - é a possibilidade de o trabalhador conferir os cálculos da sua rescisão. Com a reforma trabalhista, as rescisões podem ser feitas diretamente com o patrão, por isso, estamos solicitando que os cálculos rescisórios sejam disponibilizados antes do momento de assinar a rescisão, para que possam ser ao menos verificados. No entanto, o sindicato patronal não está concordando com isso, o que pode ser um grande retrocesso.
Por conta destas questões, também não se avançou em índices de reajuste, já que o SESCON afirma que é preciso primeiro entrar num acordo em relação a estas cláusulas divergentes. Seguimos na luta, defendendo os direitos dos trabalhadores. Cartão vermelho pro retrocesso!

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Data-base 2018: Setor Público aprova próximos passos







Com casa cheia e ampla maioria de votos, trabalhadores e trabalhadoras do Setor Público aprovaram contraproposta a ser apresentada ao novo governo do Estado. A Assembleia Geral Extraordinária – sequência da ocorrida em 26 de dezembro, quando a proposta do Executivo foi rejeitada – aconteceu na tarde desta sexta-feira (4), no auditório do SEMAPI.

Antes de apresentar à base as propostas e construir a agenda de mobilização, a diretoria do Sindicato recapitulou para os presentes todo o processo negocial de 2018, que apresentou diversos empecilhos. Divergências entre o governo do Estado e o SESCON (sindicato patronal), calendário eleitoral e os efeitos da nova legislação trabalhista foram alguns dos motivos que culminaram com o atraso nas negociações. Além disso, foram elencados os principais motivos pelos quais a categoria negou a última proposta do (des)governo Sartori: diminuição da multa por atraso nos salários (cláusula que vem possibilitando o recebimento em dia dos vencimentos), alterações nos vales refeição/alimentação e no auxílio educação infantil, exclusão da cláusula de resguardo de direitos e duas condições específicas de FASE/FPE e EMATER, entre outras. 


A proposta
Tendo em vista a troca de governo e o tempo que a nova gestão precisa para se ambientar, conhecer os pormenores das entidades que administra  e suas especificidades, e também a disposição para o diálogo demonstrada durante a campanha, o SEMAPI aprovou por ampla maioria junto à base proposta a ser apresentada na mesa de negociação.
A ideia é pedir uma data para fazer uma contraproposta àquela rejeitada, que seria formada pela manutenção de todas as cláusulas da convenção vigente, mais reposição de 1,76% nas cláusulas financeiras (INPC da data-base).

Mobilização vem aí
Logo após aprovar a proposta, a Assembleia construiu conjuntamente uma série de ações de mobilização da categoria para pressionar o governo a retomar e efetivar a negociação. Segundo a diretoria do Sindicato, a ideia é azeitar as engrenagens para que, caso haja necessidade, todos já estejam prontos para participar.
Dentre as atividades sugeridas, estão busca de unidade com demais sindicatos que ainda negociam suas datas-base, visitas a deputados e a novos gestores das fundações e empresas públicas, caravanas com a diretoria para conversar com a base na capital e no interior e uso de meios digitais de comunicação para disseminar as informações com mais rapidez e clareza. A Assembleia segue em aberto, e pode ser convocada novamente a qualquer momento.




Setor Privado: impasse leva à nova reunião


O encontro do dia 3 de janeiro terminou em impasse. Face à proposta insuficiente do Sindicato Patronal no reajuste dos pisos, o SEMAPI fez uma contraproposta, que será analisada. Um novo encontro acontece dia 9.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Setor Privado tem reunião de negociação

Contamos com a presença de todos e todas nesta quinta (3), para pressionar por uma proposta que convenha à categoria. Cartão vermelho para o retrocesso!