quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Data-Base 2016: setor privado tem nova negociação na sexta (30/09)


Atenção, trabalhadoras e trabalhadores! Chegamos num momento decisivo desta data-base e precisamos do apoio de todas e todos na próxima reunião de negociação, que acontece nesta sexta-feira (30), às 15h. O encontro será novamente na sede do sindicato patronal, o SESCON-RS (Rua Augusto Severo, 168, POA). Participe!

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Data-base 2016: SEMAPI apresenta contraproposta debatida com Fórum

Na tarde desta quarta-feira (28/09), em mais uma rodada de negociação com o governo do Estado, o SEMAPI apresentou sua contraproposta para a data-base deste ano. Pela manhã, o Fórum de Representantes da Base se reuniu para ajudar a construir o que foi apresentado no SESCON-RS.

Na mesa de negociação, o Sindicato deixou claro que, corroborado pelo Fórum, optou por enxugar a pauta com as reivindicações da categoria, para que se possa efetivamente avançar.  No entanto, o SEMAPI também destacou que não vai aceitar retirada de direitos: se não for possível avançar, que pelo menos não haja retrocesso.



Entre os pontos principais defendidos pelo sindicato nesta reunião está a liberação para participação em cursos, com a proposta de manutenção da cláusula. O Sindicato havia pedido um aumento para 30 dias, enquanto o governo queria retroceder para 10. Assim, que se mantenha os 20 dias, mas sem restrições quanto ao tipo de curso que o trabalhador ou a trabalhadora irá fazer, já que o governo pretende restringir para cursos de curta duração.

Na questão do reajuste salarial, o SEMAPI propôs 7,31% retroativos a junho de 2016, 3,40% em dezembro e 3,32% até maio de 2017 (já contando com o percentual devido do ano passado). O Sindicato deixou claro que está abrindo mão do ganho real e de parte da massa salarial para que possamos avançar nesta questão. Quanto aos vales, o SEMAPI defendeu o valor reajustado de R$28, um acréscimo de 13,3%.

Outro ponto debatido foi o regime de compensação mensal da jornada de trabalho. O SEMAPI propõe que haja um acordo em separado, levando em consideração a realidade de cada fundação. Sobre o auxílio-educação infantil, o SEMAPI pede para que seja liberado 30 dias antes do fim da licença-maternidade, para que os pais possam fazer a adaptação com o bebê na creche/maternal.

Sobre o adicional de penosidade e o adicional de incentivo educativo e socioeducativo, o SEMAPI pede para que o Estado aceite a constituição de Grupo de Trabalho para buscar alternativas sobre estas questões. O Sindicato tratou ainda dos planos de saúde, e disse concordar com alguns ajustes da prestação de contas, além de propor o aprimoramento da redação da cláusula. O Sindicato abordou também as questões de seguro de vida em grupo, dispensa para participação em congressos e simpósios para os trabalhadores da UERGS, e integralização do auxílio-doença.

Os representantes do governo disseram que terão uma reunião com o Grupo de Assessoramento do Estado (GAE) no dia 5 de outubro, quando irão apresentar a proposta do SEMAPI. A partir da resposta do GAE, o governo irá apresentar sua contraproposta. No dia 13 de outubro, às 15h, haverá mais uma reunião de negociação com o Sindicato. Como de praxe, a reunião ocorrerá na sede do SESCON (Rua Augusto Severo, 168, POA). Contamos mais uma vez com o apoio e a força da categoria!

Assista o vídeo do relato na negociação:






















terça-feira, 27 de setembro de 2016

Data-base 2016: reunião do setor público acontece amanhã (28/09)



Não esqueça: amanhã (28/09) haverá mais uma reunião de negociação entre o SEMAPI RS e o governo do Estado, pela data-base 2016. Novamente, um ônibus sairá do Largo Zumbi dos Palmares (antigo EPATUR), às 14h. Participe!


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Data-base 2016: SEMAPI e SESCON não entram em acordo e negociação continua



Na tarde desta quarta-feira (21), houve mais uma reunião de negociação entre o SEMAPI e o sindicato patronal, o SESCON-RS. Trabalhadores e trabalhadoras do setor privado compareceram novamente em bom número, mas, mesmo assim, a proposta apresentada pelos patrões não foi totalmente satisfatória.


A oferta prevê reajuste de 8%, retroativo a maio, e mais 1% em novembro de 2016, não atingindo o INPC do período (9,83%). O sindicato patronal ainda propõe o mesmo critério para os pisos salariais e para o vale-alimentação, com exceção daquelas empresas que pagam o valor acima do convencionado; estas seriam desobrigadas a dar reajuste neste ano.



Sobre a cláusula nova que trata da falta para acompanhamento escolar, o SESCON concorda com a proposta do SEMAPI de que as duas primeiras horas de falta seriam abonadas e o trabalhador teria que compensar a partir da 3ª hora. No entanto, quer que valha apenas três vezes ao ano, com informação 48 horas antes, e o comparecimento não poderá ser superior a três horas. Cláusulas como vale-cultura, triênio e auxílio-creche não foram aceitas.


O SEMAPI pediu uma nova reunião, mas já deixou claro que não abre mão da integralidade da reposição da inflação do período (INPC), e também do reajuste para aqueles que recebem o vale-alimentação acima do que está na Convenção Coletiva de Trabalho. É inadmissível que uma parcela da base não receba as perdas inflacionárias do período. Uma nova reunião ficou agendada para o dia 30 de setembro, às 15h, na sede do SESCON (Rua Augusto Severo, 168 - POA). Esperamos mais uma vez o apoio da categoria. Participe!





Data-Base 2016: no dia 21/09 tem negociação do setor privado


Reunião acontece às 15h30 na sede do SESCON-RS (Rua Augusto Severo, 168 - POA).

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Data-Base 2016: governo não avança na proposta e negociação empaca



Esta quarta-feira (14/09) foi dia de o governo do Estado apresentar sua contraproposta ao SEMAPI, dentro da data-base 2016, para trabalhadores e trabalhadoras do setor público. Os representantes do Piratini trouxeram para esta reunião de negociação uma proposta ainda pior do que a que já havia sido debatida com o sindicato, fazendo com que uma nova reunião fosse marcada.

A primeira cláusula abordada foi a que trata da liberação para participação em cursos. A mesa de negociação deixou bem claro que a intenção de que a liberação seja apenas para cursos com até 160h, e a dispensa de 20 dias, sendo 1 dia correspondente a 8 hs/aula. Sobre a redução da carga horária de servidores (as) com filho com deficiência, o governo propõe que a perícia médica deste seja feita por um profissional do Estado, e caso o laudo não saia em até 15 dias, o requerimento siga automaticamente.

Com relação ao reajuste salarial, o governo manteve a proposta inicial de reajuste de 4,90% em junho e 2,30% em dezembro, deixando 6,82% para ser negociado no ano que vem. Sobre a jornada compensatória da FASE e FPE, o executivo continua insistindo em debater o tema dentro da negociação geral, e ainda coloca que a folga extra mensal só será benefício para quem tiver 100% de assiduidade e até 60 minutos de atraso.

Todas as cláusulas novas propostas pelo Sindicato foram indeferidas. O SEMAPI não concordou com nada do que foi apresentado e pediu um tempo para organizar a sua resposta e apresentar uma avaliação do que foi exposto.

No retorno da reunião, o SEMAPI voltou a defender as cláusulas que mais impactam na categoria. A primeira ação foi defender o acordo em separado sobre a jornada compensatória da FASE e FPE. O sindicato disse que não aceita esta negociação dentro da data-base, e que, se existe um problema de aplicação das gestões, trabalhadores e trabalhadoras não podem ser penalizados. "Não é uma posição antipática, mas justa com a categoria", assinalaram os negociadores do SEMAPI.

Sobre a liberação para participação em cursos, o sindicato disse estranhar a mudança para cursos de curta duração exclusivamente, visto que há quatro anos essa cláusula é aplicada e nunca apresentou problemas: pelo contrário, servidores (as) estão quase se formando em seus cursos, e seriam inclusive prejudicados. O SEMAPI defendeu que essa imposição era uma penalização para a categoria.

Com relação ao reajuste salarial, o SEMAPI ressaltou que hoje há uma perda de 14,63%, e que não é possível apresentar para a discussão da categoria o que foi colocado hoje. Já houve perda de quase 60% de um salário mensal com o resíduo do ano passado, não se pode perder ainda mais. O sindicato também reafirmou sua contraproposta para o auxílio-educação infantil, visto que o governo quer que o benefício seja concedido apenas após a licença maternidade. Para o SEMAPI, o benefício deve ser concedido após o quarto mês, para que os pais possam fazer, caso queiram, a adaptação do bebê no maternal ou creche.

O SEMAPI deixou bem claro que a defesa destas cláusulas é fundamental para se avançar na negociação, e a contraproposta – com as demais cláusulas – será apresentada na próxima reunião, agendada para o dia 28 de setembro, às 15h, na sede do SESCON (Rua Augusto Severo, 168 - POA). O SEMAPI destaca a importância da mobilização da categoria para que efetivamente se consiga avançar. Convida teu colega, vamos nos unir. Precisamos de força para vencer!













segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Data-base 2016: Reunião do setor público acontece na quarta (14/09)




Atenção, trabalhadores e trabalhadoras! Nesta quarta-feira (14/09), haverá mais uma rodada de negociação entre o SEMAPI RS e o governo do Estado, pela data-base 2016. A reunião acontece às 15h na sede do Sescon-RS. Participe! Haverá transporte saindo do Largo Zumbi dos Palmares (antigo Epatur), às 14h.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Data-Base 2016: SEMAPI e SESCON têm nova rodada de negociação


Na tarde desta terça-feira (6/9), SEMAPI e SESCON-RS voltaram a se encontrar para negociar a data-base 2016 do setor privado. Foi a vez do SEMAPI defender sua contraproposta, elaborada após diálogo com a categoria.

Na mesa de negociação, o Sindicato ressaltou que não abre mão do pagamento integral da inflação do período (Índice Nacional de Preços ao Consumidor - INPC), e pediu o reajuste de 10% para os salários e os pisos, com retroatividade a maio deste ano. Também foi destacado o custo da alimentação para trabalhadores e trabalhadoras, que motivou o pedido de reajuste de 18,42% nos vales alimentação e também no auxílio-rancho.

Sobre a cláusula que trata do abono de falta para consulta médica, o SEMAPI continua reivindicando que sejam 15 dias ao ano, sem limite de dias por mês. O Sindicato também reforçou a proposta de aplicar o pagamento do triênio, ao invés do quinquênio, como é hoje.

No caso do abono de falta para acompanhar o filho estudante, em vez de compensar, como propuseram os patrões na última reunião, o SEMAPI propôs que haja abono das duas primeiras horas, passando a ter compensação só a partir da 3ª hora de ausência no trabalho. Outra cláusula que já vem sendo reivindicada há anos, o auxílio-creche foi defendido como um benefício que é uma proteção para a criança, não apenas para a mulher, e é inadmissível que, numa categoria com tantas mulheres, elas precisem trabalhar sem essa garantia.



Outra cláusula destacada foi a referente ao acesso do dirigente sindical à empresa, já que muitas sequer permitem que o diretor do sindicato entre na instituição para conversar com trabalhadores e trabalhadoras. Todas as outras cláusulas foram reafirmadas, e o sindicato patronal marcou uma nova reunião para dar sua resposta, no dia 21/09, às 15h30, na sede do SESCON (Rua Augusto Severo, 168, POA). Participe! A mobilização da categoria tem mostrado resultados e sua participação é decisiva.








segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Data-Base 2016: SEMAPI negocia data-base dos trabalhadores da EGR

Na sexta-feira (2/9), o SEMAPI se reuniu com o governo do Estado para negociar a data-base de trabalhadores e trabalhadoras da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). A negociação em separado foi uma reivindicação do governo durante a apresentação da pauta do setor público, que aconteceu no dia 3 de agosto.

Nesta reunião, o governo trouxe uma contraproposta, considerada insuficiente pelo sindicato. A próxima reunião ficou agendada para o dia 16/09, às 15h, na rua Sete de Setembro, 1069 - Centro.

Data-base 2016: Negociação do setor privado acontece na terça (6)


Nesta terça-feira (6), acontece mais uma rodada de negociação entre o SEMAPI RS e o sindicato patronal, o Sescon-RS, pela data-base 2016. A reunião ocorre às 15h, na sede do SESCON (Rua Augusto Severo, 168 - POA). Não perca!