terça-feira, 29 de novembro de 2016

Caxias e Serra: é hora de discutir a proposta patronal

Trabalhadores e trabalhadoras da serra gaúcha vão conhecer e deliberar sobre a proposta dos patrões nesta quinta-feira (1/12). Depois de uma sucessão de reuniões desmarcadas e muitas dificuldades, o SEMAPI optou por levar a proposta oferecida pelo sindicato patronal à base, e a apresentação ocorre a partir das 18h30, na subsede Caxias (Rua Pinheiro Machado, 1652 - bairro Centro). Contamos com a participação de todos e todas. 


quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Data-Base 2016: Setor público aprova proposta



Com um público excelente, foi realizada a assembleia de trabalhadores e trabalhadoras do setor público do SEMAPI, na tarde desta quarta-feira (9/11). O salão da Igreja Pompéia ficou pequeno para tantas pessoas, que aprovaram por unanimidade a proposta construída pelo Sindicato e o governo do Estado para a Convenção Coletiva de Trabalho de 2016.

Como de costume, os diretores do SEMAPI, juntamente com sua assessoria jurídica, explicaram a proposta e fizeram alguns esclarecimentos. Não houve nenhuma manifestação contrária, mas alguns servidores avaliaram que a mobilização em reuniões de negociação e eventos foi muito pequena, e que será preciso mais unidade para conseguir avanços nos próximos anos, além de barrar os projetos que estão tramitando tanto na Assembleia Legislativa, quanto no Congresso Nacional, contra a classe trabalhadora.



Em votação, a categoria foi unânime em aceitar o texto proposto. O SEMAPI destacou que foi uma negociação muito dura, que o governo começou com uma série de retirada de direitos, revertida na mesa com muito custo. Também salientou que o panorama político vai demandar de trabalhadores e trabalhadoras muita luta e mobilização, e já aproveitou para convocar todos e todas para a grande paralisação do dia 11, chamada pelas centrais sindicais e que deve parar o país.

A questão da jornada compensatória da FASE e FPE foi votada em separado, apenas por trabalhadores e trabalhadoras dessas fundações, e aprovada por ampla maioria. De acordo com a proposta, terão direito à folga extra mensal apenas quem tiver 100% de assiduidade no mês anterior e nenhum atraso superior a 60 minutos.



Confira os destaques da proposta aprovada por unanimidade:

- Reajuste salarial - 6% retroativo a junho de 2016 e 3,12% retroativo a setembro de 2016, totalizando 9,30% (Um percentual sobre o outro). As perdas residuais do poder aquisitivo dos salários, 4,68%, poderão ser negociadas na próxima data-base


- Quebra de caixa - R$173 (reajuste de 11%)


- Vale refeição - R$27,46 (reajuste de 11%)


- Auxílio-educação infantil - R$441 (reajuste de 11%), devido a partir do 5º mês de idade do filho e pago até o final do ano em  que ele completar sete anos


- Auxílio-rancho suplementar  (abono natalino) - R$604,12 (reajuste de 11%)


- Seguro de vida em grupo para morte natural de R$15.543, e R$31.086 para morte acidental ou invalidez por acidente ou doença. No caso de afastamento por acidente de trabalho ou auxílio doença, o empregador irá arcar com 100% do valor do seguro, mas o descontará quando o trabalhador tiver alta do INSS e retornar ao trabalho; para quem tiver direito à antecipação de salário, a participação será descontada deste valor.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Data-Base 2016: assembleia do setor público acontece no dia 9/11



Para deliberar sobre a proposta para a Convenção Coletiva de Trabalho de 2016, elaborada a partir da negociação entre o SEMAPI e o governo do Estado, será realizada assembleia geral extraordinária no dia 9 de novembro, às 14h30, no salão da Igreja Pompéia (Rua Barros Cassal, 220, Porto Alegre). Convocamos todos trabalhadores e trabalhadoras do setor público (fundações, UERGS e ASCAR-EMATER) a participar e decidir sobre a data-base da categoria.

A negociação neste ano foi dura, o governo começou a negociar com uma série de retirada de direitos, que conseguimos reverter na mesa. Por isso é importante não ter pressa e aceitar as primeiras propostas que nos oferecem; o sindicato tem experiência e sabe quando podemos avançar, como avançamos. Contamos com a participação de todos e todas para esclarecer possíveis dúvidas e deliberar sobre a proposta final.

Confira a proposta AQUI.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Data-Base 2016: proposta avança e governo diz que chegou ao seu limite



Apesar do tempo instável, muitos trabalhadores e trabalhadoras do setor público se mobilizaram e lotaram o SESCON para mais uma reunião de negociação da data-base 2016. SEMAPI e governo do Estado se reuniram na tarde desta terça-feira (01/11), quando o executivo apresentou sua proposta final para esta negociação coletiva. O grande avanço do encontro foi a melhoria no índice do reajuste salarial, que ficou mais próximo da proposta do Sindicato.


Um dos destaques desta negociação, a cláusula que trata da liberação para participação em cursos, não foi contemplada na contraproposta patronal: o governo não cedeu nem um pouco e manteve a redação anterior, que prevê apenas cursos de até 160 horas. O SEMAPI tentou argumentar e contrapôs que a cláusula seja estendida pelo menos para aqueles que já estão cursando, mas o governo não aceitou, mantendo a liberação até 31/12/2016 apenas para aqueles que já estão matriculados.

Para o regime de compensação mensal da jornada de trabalho, outro tema que teve debate acirrado, o governo propôs compensação no prazo máximo de trinta dias, dentro da efetividade mensal, e pagamento para as horas não compensadas dentro deste período. O Sindicato comentou que há muitas jornadas diferentes dentro das fundações, e que esta redação precisaria ser melhorada para abranger todo mundo. Ficou então decidido que o texto será aperfeiçoado.


Sobre a jornada compensatória da FASE e FPE, o governo mantém sua proposta de que folga extra mensal seja direito apenas daqueles que tiverem 100% de assiduidade no mês anterior e nenhum atraso superior a 60 minutos. O SEMAPI chegou a argumentar que o governo deveria considerar as convocações oficiais, as liberações para atividades sindicais e as licenças a que os servidores e servidoras têm direito, como licença gala e nojo, mas o governo se mostrou irredutível.


Na questão das promoções, ficou o compromisso das partes em firmar acordo específico, por empregador, visando a implementação das promoções vencidas nos termos dos Planos de Empregos, Funções e Salários (PEFS) vigentes, a partir do registro da convenção, e pagamento dos valores retroativos, em quatro parcelas mensais consecutivas. A diretoria do SEMAPI irá analisar a proposta durante a semana para decidir pela chamada da assembleia, para que os trabalhadores e trabalhadoras avaliem a proposta conforme diretrizes discutidas no Fórum de Representantes de Base. Mesmo assim, o Sindicato já vai encaminhar sugestões de melhorias ao governo do Estado.

Assista abaixo o relato da negociação de hoje


Confira abaixo os destaques da proposta:


- Reajuste salarial - 6% retroativo a junho de 2016 e 3,12% retroativo a setembro de 2016, totalizando 9,30%
As perdas residuais do poder aquisitivo dos salários, 4,68%, poderão ser negociados na próxima data-base


- Quebra de caixa - R$173 (reajuste de 11%)


- Vale refeição - R$27,46 (reajuste de 11%)


- Auxílio-educação infantil - R$441 (reajuste de 11%), devido a partir do 5º mês de idade do filho e até que ele complete sete anos


- Auxílio-rancho suplementar - R$604,12 (reajuste de 11%)


- Seguro de vida em grupo para morte natural de R$15.543 e R$31.086 para morte acidental ou invalidez por acidente ou doença. No caso de afastamento por acidente de trabalho ou auxílio doença, o empregador irá arcar com 100% do valor do seguro, mas descontará o valor quando o trabalhador tiver alta do INSS e retornar ao trabalho, ou para quem tiver direito à antecipação de salário, a participação será descontada deste valor. 


















sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Data-base 2016: nova reunião do setor público ocorre dia 1/11



Atenção, trabalhadores e trabalhadoras! Na terça-feira (01/11), às 15h, haverá nova reunião de negociação entre o SEMAPI e o governo do Estado, pela data-base 2016.

Novamente, terá transporte saindo do Largo Zumbi dos Palmares às 14h. Precisamos aumentar nossa mobilização para pressionar ainda mais o governo. Participe!

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Data-base 2016: trabalhadores e trabalhadoras da EGR aceitam proposta


Trabalhadores e trabalhadoras da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) aceitaram por unanimidade a proposta para a data-base 2016. A assembleia foi realizada na tarde da segunda-feira (24/10), na sala de reuniões da empresa.

Mais uma vez, o acordo foi realizado em separado a pedido do governo do Estado, com a justificativa de que a instituição tem uma dinânica diferente das fundações, já que é empresa mista e conta com recursos próprios.

Confira os principais itens da proposta aprovada:

- Reajuste Salarial de 6,87% em junho/16 e 2,48% em setembro/2016.

- Vale-refeição com valor unitário de R$27,46.

- Auxílio educação-infantil de R$441, devido a partir do 5º mês de idade do filho e até ele completar 7 anos.

- Seguro de vida em grupo - R$15.543 para morte natural e R$31.086 para morte acidental ou invalidez por acidente ou doença. Pagamento integral do custo pela empresa quando do afastamento do empregado.

- Abono Natalino/Auxílio-Rancho Suplementar no valor de R$604,12, pago até o dia 20 do mês de dezembro.

- Licença para acompanhamento de pessoas da família - A EGR abonará as faltas ao serviço para acompanhamento à consulta, exame, internação hospitalar e procedimento ambulatorial do pai, mãe ou responsável legal do empregado.

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Data-Base 2016: governo apresenta proposta decepcionante e negociação continua


Na reunião de negociação ocorrida na tarde desta quinta-feira (13/10), pela data-base 2016, o governo do Estado apresentou sua contraproposta formulada em conjunto com o Grupo de Assessoramento Especial do Piratini (GAE) e Sescon para os trabalhadores e trabalhadoras do setor público (Fundações, UERGS e ASCAR-EMATER). Alegando dificuldades financeiras e carência de pessoal, os representantes do governo mantiveram a proposta muito aquém das expectativas, não cedendo em praticamente nada do que o SEMAPI havia argumentado na última reunião.

Dentre o que foi proposto, segue o que não mudou frente ao que o governo já havia apresentado: na cláusula de liberação para participação em cursos, o governo ainda quer limitar a cursos de 160 horas de duração, com concessão de dispensa de 20 dias por ano; sobre o regime de compensação mensal da jornada de trabalho, manteve-se a posição de que as horas sejam compensadas no prazo máximo de 30 dias; na questão do auxílio-educação infantil, o governo continua propondo que o benefício seja concedido apenas após o 5º mês de nascimento do bebê; e, tratando da jornada compensatória dos trabalhadores e trabalhadoras da FASE e FPE, o governo mantém sua posição de que a folga extra mensal seja dada apenas a quem tiver 100% de assiduidade e atraso inferior a 60 minutos, além de poder alterar a lotação horária.

Quanto ao reajuste salarial, a proposta foi de 6% retroativo a junho e 2% a mais em dezembro, totalizando 8,12%. Nos vales, eles mantém o valor unitário de R$ 27,46. No caso das promoções, houve um comprometimento para fazer acordos coletivos em separado após o fechamento desta data-base. Os avanços desta reunião foram a manutenção da cláusula que trata da integralização do auxílio-doença e a inclusão do adicional de incentivo à capacitação, na cláusula do piso salarial regional. 


O SEMAPI deixou claro que esta proposta é frustrante, e que, além de não avançar, retroage em questão de direitos, voltando a questionar a liberação para participação em cursos, e o porquê da limitação de horas, já que o número de dias liberados é exatamente o mesmo. Também pediu, mais uma vez, que se mantenha a redação atual da cláusula. Na questão que trata do regime de compensação, o SEMAPI voltou a defender acordos em separado, para que se discuta as especificidades de cada fundação.

Com relação à jornada compensatória da FASE e FPE, o SEMAPI frisou que não pretende negociar este assunto dentro desta data-base, pois isso seria como rasgar o acordo que já foi firmado em separado. O Sindicato também pediu atenção ao índice, para que se aproxime mais do que já havia sido proposto pelo Semapi (7,31% em junho, 3,40% em dezembro e 3,32% até o final da data-base, totalizando 14,63%). Quanto ao auxílio-creche, o sindicato pede apenas que fique explicitado na cláusula que ele pode ser concedido a partir do último mês anterior ao final da licença-maternidade, a fim de que possa ser feita a adaptação da criança.

Uma nova reunião foi marcada para o dia 1º de novembro, às 15h, na sede do SESCON (Rua Augusto Severo, 168, POA). Neste encontro, conseguimos um bom número de trabalhadores e trabalhadoras, mas vamos precisar de mais força ainda. Veste a tua camiseta e vem lutar com a gente!



Vídeo do relato da reunião de hoje



















terça-feira, 11 de outubro de 2016

Data-Base 2016: reunião do setor público acontece na quinta (13)


Na quinta-feira (13), acontece mais uma reunião de negociação entre o SEMAPI e o governo do Estado, pela data-base 2016. Haverá um ônibus que sairá do Largo Zumbi dos Palmares às 14h. Convide seu colega, participe! Precisamos lotar a frente do SESCON (Rua Augusto Severo, 168, POA).

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Data-Base 2016: setor privado aprova proposta para a Convenção Coletiva de Trabalho



Na noite da sexta-feira (7/10), na sede do SEMAPI, foi realizada a assembleia de trabalhadores e trabalhadoras do setor privado para deliberar sobre a data-base 2016. Por unanimidade, foi aprovada a proposta para a Convenção Coletiva de Trabalho.

Agora, o texto deverá ser assinado pelo SEMAPI (sindicato dos trabalhadores) e o SESCON (sindicato patronal), e encaminhado para registro no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Destacamos que as empresas não precisam aguardar o registro para pagar os valores devidos, visto que já houve acordo entre as partes.





Confira os destaques da proposta:

 

Reajuste salarial geral e pisos salariais


8% retroativo a maio de 2016

+1,83% em novembro - totalizando 9,83% a partir de novembro de 2016

 

Vale alimentação

Para quem ganha atualmente até R$18 - reajuste de 9,83% retroativo a maio

Para quem ganha mais de R$18 - reajuste de 5% retroativo a maio

 

Auxílio-rancho e demais cláusulas com repercussão financeira

Reajuste de 9,83%

 

Abono de falta para consulta médica

O máximo continua sendo 12 dias ao ano, mas sem limite de dias por mês

 

Abono de falta para acompanhamento de filho (a) até 12 anos na escola


As duas primeiras horas de falta serão abonadas e o trabalhador terá que compensar a partir da 3ª hora. A comunicação deve ocorrer 48 horas antes, o comparecimento não poderá ser superior a três horas, e será limitado a três vezes ao ano


      

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Data-base 2016: setor privado tem assembleia na sexta (7)

ATENÇÃO! A assembleia do setor privado será na próxima sexta-feira (7/10), às 19h, na sede do SEMAPI (Rua Lima e Silva, 280, Porto Alegre). Participe e ajude a decidir a Convenção Coletiva de toda a categoria. Confira a proposta em: http://migre.me/v94k0.